Foram longas noites em claro, noites que pareciam não ter fim. Eu fechava os olhos por horas e parecia que tinham se passado apenas alguns segundos. A angústia aumentava com o passar do tempo, meu coração apertava mais a cada segundo. Era uma tortura. Virava de um lado para o outro na cama, pensando no pior, sem ter uma notícia precisa sobre a sua situação, sem saber o que fazer, pedindo à Deus para que cuidasse bem do meu bem maior. O dia clareava e eu via que mais um dia se passava sem nenhuma mudança. Eu não tinha vontade de conversar com ninguém, apenas queria ficar quieta, isolada de todos, só esperando algum tipo de milagre. Tinham se passado mais de uma semana que estava em um quarto de hospital, desacordada. Respirava, comia, era mantida viva por aparelhos. As chances para que acordasse diminuíam gradativamente a cada dia. Eu evitava pensar nisso, mas era impossível. Te ver naquele daquele modo e não poder fazer absolutamente nada, era extraordinariamente torturante. Na manhã daquela quarta-feira, lembro-me daquela angústia que repentinamente senti. Como se dentro de meu peito havia sido revirado. Uma sensação indescritível. Precisava te ver, e então assim fiz. Ao chegar e perceber que não me deixavam entrar em seu quarto antes do médico conversar comigo, sabia que algo estava errado. O doutor me esperava na porta do centro médico, e quando olhei para o rosto dele, soube ali que você tinha partido. Meu corpo congelou. Não conseguia me mover. Minha mente demorou para raciocinar e aceitar aquilo. Necessitava de que fosse mentira, pois eu carecia te ter ao meu lado, e fazer de sua vida a mais feliz que uma criança de sete anos poderia ter. Viveu tão poucas experiências. Sua vida mal começara e de repente tinha que entender que nunca mais iria ouvir sua voz, te arrumar para o colégio, sentir seu cheiro naquele abraço apertado. Ainda estagnada, dei por mim de que ao meu lado estava meu primo, seu irmão, que chorava de olhos fechados. Desmoronei. Não me contive e coloquei-me a chorar naquele corredor. As forçar do meu corpo se esvaíram e fui acolhida, mais uma vez, por meu primo. Gritava à Deus para que me levasse em seu lugar. Mas você se foi. Se foi com toda a pureza e amor. E indo, levou também a maior parte de mim. Quero acreditar de que esteja em um lugar bom agora. Um lugar maravilhoso. O mesmo lugar que nosso avô esteja. Oro para que ele cuide de você. Sei que me vêem, me escutam e me sentem. Também sei que vem de vocês dois a força para que eu ainda me mantenha aqui, de pé. Minha loirinha, eu te amo tanto. Dois meses já se passaram desde que partiu, e confesso que as vezes espero a perua escolar buzinar e você gritar meu nome ao entrar em casa. Eu sinto demais a sua falta mas sinto ainda mais por não ter feito tudo o que queria para ti. Me perdoe por não estar junto a ti quando tudo aconteceu, resultando em sua partida. Esteja sempre comigo meu amor, pois sabes que eu estou sempre contigo na minha mente, e em minha alma

                                                  -Yasmin (mpm) for my angel 
                                                             
Foram longas noites em claro, noites que pareciam não ter fim. Eu fechava os olhos por horas e parecia que tinham se passado apenas alguns segundos. A angústia aumentava com o passar do tempo, meu coração apertava mais a cada segundo. Era uma tortura. Virava de um lado para o outro na cama, pensando no pior, sem ter uma notícia precisa sobre a sua situação, sem saber o que fazer, pedindo à Deus para que cuidasse bem do meu bem maior. O dia clareava e eu via que mais um dia se passava sem nenhuma mudança. Eu não tinha vontade de conversar com ninguém, apenas queria ficar quieta, isolada de todos, só esperando algum tipo de milagre. Tinham se passado mais de uma semana que estava em um quarto de hospital, desacordada. Respirava, comia, era mantida viva por aparelhos. As chances para que acordasse diminuíam gradativamente a cada dia. Eu evitava pensar nisso, mas era impossível. Te ver naquele daquele modo e não poder fazer absolutamente nada, era extraordinariamente torturante. Na manhã daquela quarta-feira, lembro-me daquela angústia que repentinamente senti. Como se dentro de meu peito havia sido revirado. Uma sensação indescritível. Precisava te ver, e então assim fiz. Ao chegar e perceber que não me deixavam entrar em seu quarto antes do médico conversar comigo, sabia que algo estava errado. O doutor me esperava na porta do centro médico, e quando olhei para o rosto dele, soube ali que você tinha partido. Meu corpo congelou. Não conseguia me mover. Minha mente demorou para raciocinar e aceitar aquilo. Necessitava de que fosse mentira, pois eu carecia te ter ao meu lado, e fazer de sua vida a mais feliz que uma criança de sete anos poderia ter. Viveu tão poucas experiências. Sua vida mal começara e de repente tinha que entender que nunca mais iria ouvir sua voz, te arrumar para o colégio, sentir seu cheiro naquele abraço apertado. Ainda estagnada, dei por mim de que ao meu lado estava meu primo, seu irmão, que chorava de olhos fechados. Desmoronei. Não me contive e coloquei-me a chorar naquele corredor. As forçar do meu corpo se esvaíram e fui acolhida, mais uma vez, por meu primo. Gritava à Deus para que me levasse em seu lugar. Mas você se foi. Se foi com toda a pureza e amor. E indo, levou também a maior parte de mim. Quero acreditar de que esteja em um lugar bom agora. Um lugar maravilhoso. O mesmo lugar que nosso avô esteja. Oro para que ele cuide de você. Sei que me vêem, me escutam e me sentem. Também sei que vem de vocês dois a força para que eu ainda me mantenha aqui, de pé. Minha loirinha, eu te amo tanto. Dois meses já se passaram desde que partiu, e confesso que as vezes espero a perua escolar buzinar e você gritar meu nome ao entrar em casa. Eu sinto demais a sua falta mas sinto ainda mais por não ter feito tudo o que queria para ti. Me perdoe por não estar junto a ti quando tudo aconteceu, resultando em sua partida. Esteja sempre comigo meu amor, pois sabes que eu estou sempre contigo na minha mente, e em minha alma
                                                  -Yasmin (mpm) for my angel 
                                                             
Posted Agosto 7, 2012 at 18:58
Tagged #amor #prima #drika #saudades #te amo #texto #mpm
4 notas:
  1. diario-de-uma-garota-que-sonha reblogou esta postagem de redemar
  2. redemar publicou esta postagem
source